Nada Mais Que A Verdade

A edição da revista Exame de 22/10 trouxe uma matéria que conta histórias de empresas que não falam a verdade. Os exemplos vão desde Hollister, marca de fast fashion americana, Diletto, marca de sorvetes nacionais, Sucos Do Bem, entre outras.

A Diletto conta que a marca nasceu da herança das receitas de Gelato (sorvete para os Italianos) do avô que veio da região do Vêneto na velha bota. A Do Bem diz que comercializa sucos provenientes de fontes orgânicas (as laranjas vêm de uma fazenda que o dono chama-se Francisco). A mais absurda de todas as histórias é a da Hollister. Diz a estória na matéria da Exame:

“Hollister foi criada em 1922 pelo americano John Hollister. Filho de banqueiro, ele se formou na Universidade Yale, trabalhou numa plantação de borracha na Indonésia e casou com uma jovem local. No caminho de volta para casa, se encantou com o trabalho dos artesãos das ilhas do sul do Pacífico.

Só que a marca foi criada pela empresa Abercrombie & Fitch em 2000 (!).

O storytelling é um método de contar uma história que muitas marcas vêm recorrendo recentemente e que as marcas acima usaram para contar as suas histórias ou versões. Há exemplos muito bons por aí como o lançamento do iogurte Danio da Danone aqui no país.

Uma empresa nacional que criou uma história fantástica é a Natura. A empresa tem vários projetos de preservação ambiental, como o Natura Ekos, que ajuda as comunidades locais e a natureza, uma prova que o desenvolvimento sustentável é possível.

Chegar ao nível da Natura é muito difícil pois é necessário ter uma estrutura gigante de logística e negócios. E os preços podem ser mais caros. Mas a empresa fixou na mente dos consumidores que se preocupa com a natureza e com as comunidades locais.

Produtos da linha Ekos da Natura

Produtos da linha Ekos da Natura

Uma coisa é contar uma história romanceada outra é inventar uma totalmente irreal e toma-la como verdadeira. É perigoso e pode queimar os negócios. Exemplo é o viral da Nokia de dois anos atrás, o Perdi Meu Amor Na Balada.

O editorial do M&M dessa semana destaca isso. O especialista americano Robert McKee diz que “Eticamente não é uma boa opção falsificar um mito em torno da sua empresa. E em termos práticos também não. Vivemos hoje em um mundo onde tudo pode ser buscado e investigado. Uma hora, a mentira em torno da história irá aparecer.”.

Anúncios

Sobre grcastanho

Fiz este blog para expor minhas idéias sobre os mais variados temas, mas principalmente Marketing, Política, Economia e Artes em geral.
Esse post foi publicado em GuiC e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s