Polêmica, Eu Te Amo

A Benetton, uma das marcas italianas mais famosas nos anos 1990, volta com uma campanha bastante polêmica. Nas peças impressas para a Fundação Unhate, criada pela própria empresa, a Benetton fez montagens de  personalidades que representam grupos antagônicos, ou líderes de países com algum tipo de disputa, se beijando.

O Beijos da censura

As reações foram desde ameaça da Igreja Católica de processar a Benetton até censura da China, passando por uma acusação de plágio da agência chilena La Firma. Segundo a agência do Chile, a ideia foi criada em 2006 para uma marca de adoçante, e foi escolhida pelo jornal francês Le Monde como uma das melhores do ano.

Toda essa campanha faz lembrar as famosas fotos do publicitário italiano Oliviero Toscani. De 1982 à 2000, ele foi responsável pelas campanhas da Benetton. A marca tinha uma linha criativa nos anos 1980 de mostrar imagens coloridas de um mundo multirracial que mostravam a profusão de cores da marca tinha em seus produtos.

Campanha durante os anos 1980

Mas foi nos anos 1990 que a marca italiana de roupas fez barulho. A linha da campanha mudou de fazer uma relação com o produto e passou a ser de ser provocativa, e começou a abordar temas como Aids, racismo, Guerra do Golfo, condenados ao corredor da morte, entre outros.

A Benetton está estagnada há tempos. Não cresce, só tem duas coleções por ano, rede varejista complicada e falta de variedade de produtos. Segundo o WSJ, essa campanha não é apenas para incentivar a aproximação entre as pessoas, mas é parte inicial de um plano para recuperar a empresa.

Hoje em dia, esse tipo de polêmica não tem a mesma potência que tinha na época de Oliviero. Muitas marcas de roupas se inspiraram no que a Benetton fez durante os anos 1990 e já fazem campanhas polêmicas. A conterrânea Diesel fez ano passado a campanha Be Stuped. Outras marcas lançaram campanhas com conceito “Fuck” e mostrando modelos anoréxicas.

Uma das peças da campanha da Benetton nos anos 1990

O que torna essa campanha barulhenta é que a Benetton tem um histórico de polêmicas, e mostra o Papa beijando um líder muçulmano entre outros lideres beijando outros lideres antagônicos.

A Benetton conseguiu o que queria: Barulho e repercussão. Conseguiu irritar a Igreja, a China e a Casa Branca. Só que essa  campanha não tem algo a mais. Nas imagens de Oliviero, existia um pano de fundo. A denúncia do drama da Aids, o racismo, entre outros.

Esse propósito de acabar com o ódio entre todos é muito superficial. Ok, vivemos uma época complicada. Crise, desemprego – os europeus vivem a procurar emprego e só na Espanha são 20% de desempregados. Mas esse combate ao ódio é muito abstrato, não há algo tangível como, por exemplo, uma doença como a Aids.

Nessa peça um Padre beija uma Noviça

A ideia de voltar a fazer barulho com uma polêmica, com a suposta desculpa de promover a convivência pacífica entre as pessoas, não teve  a mesma qualidade e cuidado artístico do trabalho anterior. Essa é apenas uma fotomontagem no Photoshop.

Como momento nostálgico é até bom, pois gostava muito daquela campanha. Só isso.

Mais aqui.

Anúncios

Sobre grcastanho

Fiz este blog para expor minhas idéias sobre os mais variados temas, mas principalmente Marketing, Política, Economia e Artes em geral.
Esse post foi publicado em GuiC e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Polêmica, Eu Te Amo

  1. Pingback: O Desempregado Do Ano Em Um Mundo Sem Rumo | GuiC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s