Os 3 Melhores Filmes de 2009

Dando continuidade à série dos melhores de 2009, agora é a vez dos 3 melhores filmes do ano passado. Em 2009 tivemos ótimos filmes, fica até difícil escolher apenas três. Esses filmes foram os que eu vi no cinema em 2009, não necessariamente que tenha sido lançado no mesmo ano. Esse ano fiz dois ou três posts sobre filmes que assisti no cinema, mas nenhum deles foi bom o suficiente para entrar aqui, principalmente O Dia em que a Terra Parou, que não tem nada do primeiro dos anos 1950.

  • Distrito 9

Distrito 9 é um filme diferente. Filmado e ambientado na África do Sul, ele conta a história de uma raça alienígina que vem acidentalmente para a Terra, e acaba parando em Johanesburgo. Os humanos os colocam em uma área denominada Distrito 9. Quase 30 anos depois, o Distrito vira uma imensa favela, com a convivência dos aliens e dos humanos ( no caso são traficantes nigerianos).

O filme é contado como um documentário sobre a vinda dos áliens e sobre Wikus Van De Merwe (vivido por Sharlto Copley), um burocrata de uma empresa, a MNU, que consegue uma promoção – pois é casado com a filha de um diretor da empresa. Como a favela do Distrito 9 ficou gigante, e está inserida dentro de Johanesburgo, a empresa decide removê-los para um lugar maior, o Distrito 10. No inicio da remoção, Wikus ingere acidentalmente um líquido escuro – que no decorrer do filme seria usado para dar partida na nave que paira sobre o céu da cidade sul-africana – que muda seu DNA e ele começa a virar um alienígena.

No decorrer do filme, o documentário vira um filme de ação. Mas ele é maior, ele tem como pano de fundo a própria história da África do Sul, a do Apartheid. No filme, os brancos são os humanos, os áliens são os negros. O Distrito 9 é uma referência ao Distrito 6 de Johanesburgo.

Apesar do orçamento apertado – US$ 30 mi, que para filmes do gênero são sempre maiores – os efeitos especiais são muito bons, os áliens são bens reais, e a nave parece de verdade, muito melhor que filmes/ desenho como Transformes e Avatar. Mesmos o robô de Distrito 9 é mais real, e tem mais “alma” que um Megatron.

  • A Onda

A Onda é um filme alemão, que fala sobre autoritarismo. Baseado em uma experiência que ocorreu nos EUA, o filme aborda como que um grupo de alunos que não tinha nenhuma indicação de aderir a idéias radicais. Mas quando um professor, que gostaria de dar aulas especiais sobre anarquia, é obrigado a ensinar para a turma o que é Autoritarismo.

Eles acabam criando um grupo, A Onda, onde se vestem iguais, se ajudam, se reúnem em baladas próprias, criam um símbolo e uma saudação. O professor ensina aos alunos que o autoritarismo se baseia em poder (do grupo) e disciplina  (para manter o poder, e ampliá-lo). No decorrer do filme A Onda se transforma em algo violento, que foge do controle do professor, Rainer Wenger (Jürgen Vogel), que vira Sr Wenger. A experiência sai do controle, e ocorre uma tragédia.

 

O diretor do filme, Dennis Gansel, foi muito hábil em mostrar a todos que caso não tomemos cuidados, podemos ver um estado democrático virar um estado autoritário. Algo que, infelizmente, estamos vendo na América Latina, como na Venezuela, Bolívia, e agora Brasil com o ridículo decreto que institui o Programa de Direitos Humanos. Nele, que foi escrito por alguém com péssima escrita, as reintegrações de posse de terra não ficaram mais a cabo da justiça, e sim de um colegiado com representantes de sindicatos e dos próprios invasores; criará um conselho de punições – e até mesmo cassação de outorga, no caso dos veículos de radiodifusão – para as empresas que não seguirem as diretrizes oficiais em relação aos direitos humanos, além de criar uma comissão governamental que fará o acompanhamento da produção editorial, entre outros pontos polêmicos –  e o Presidente jura que não leu.

  • Bastardos Inglórios

Tarantino conseguiu de novo. O rei da violência nos cinemas cria um filme ambientado na segunda grande guerra em que um grupo de judeus americanos sai à caça de nazistas. Enquanto isso, uma judia que teve toda sua família assassinada pelos nazistas, conhece soldado alemão, herói em seu país, que encena um filme, e quer que a estréia do filme seja no cinema de sua amada.

O filme se passa em uma Paris ocupada pelos alemães, e recusar a oferta pode ser ruim a ela. Do outro lado da trama, os americanos recebem a ajuda dos britânicos, e planejam cometer um atentado na estréia do tal filme, que terá a presença de figuras importantes do regime nazista, entre eles o próprio Hitler.

Tarantino abrandou as cenas  de violência excessiva, o que deu ao filme um enredo e uma cadência melhor ao da noiva de Kill Bil, que sai como uma louca matando todo mundo e esguichando sangue por todo lado (mais isso não faz Kill Bil um filme ruim).

Ps: O próximo post será sobre as três melhores ações de marketing de 2009

Anúncios

Sobre grcastanho

Fiz este blog para expor minhas idéias sobre os mais variados temas, mas principalmente Marketing, Política, Economia e Artes em geral.
Esse post foi publicado em GuiC e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Os 3 Melhores Filmes de 2009

  1. Pingback: Avatar, o Distrito 9 e os Bastardos vão ao Oscar « GuiC

  2. Pingback: O Que Está Havendo Com A Propaganda? « GuiC

  3. Pingback: Os 75 melhores filmes de 2001 a 2009 « GuiC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s